Partilhar:

Vinho Tinto
Contador de Estórias
2018, 75cl
Regional Península de Setúbal

7,99

 14.5%

 2020-2029

 Servir a 16º-18º

 

O Produtor, nota de prova publicada em 27 de Maio de 2020

Vinho de cor granada concentrada e aroma com notas de fruta preta madura, especiarias e algum couro. É um vinho de corpo volumoso com boa acidez, taninos presentes mas elegante. Final de boca longo e persistente.

Descubra todos os vinhos deste produtor

Contador de Estórias

Palmela é sem dúvida um local ímpar na produção de excelentes vinhos. Com uma mistura provocante entre as castas Touriga Nacional, Syrah, Petit Verdot, oferecemos um vinho com estágio em carvalho francês e americano, elegante, sedoso e com fantástico aroma a fruta madura. Uma escolha luxuosa fácil de beber. Deve servir-se a uma temperatura entre 17ºC – 18ºC. Vinificação: Fermentação em cuba lagar de inox com maceração pelicular prolongada de 3 semanas. 70% estagiou em cuba de inox e 30% em barricas de carvalho francês e americano durante 12 meses.
Limitado ao stock existente. No caso do vinho que comprou ficar sem stock, entraremos em contacto para propor um vinho diferente, ou para lhe devolver o valor pago.
As promoções nos vinhos não são acumuláveis com outros descontos ou cupões.

Prémios

Boa Compra Resvista de Vinhos 2015; 91 pontos Wine Enthusiast

Informação de alergénios

Contém sulfitos.

SKU: 104405

Manzwine

A família Manz mudou-se para a pacata vila de Cheleiros, Oeste de Portugal, em 2004 e rapidamente se apaixonou pelas gentes e pelo local. O passado vitivinícola da região, de paisagem campestre e costumes perdidos, depressa cativou André Manz que, com o auxílio e conselhos dos locais, decidiu experimentar produzir vinho para consumo próprio. Praticamente esquecidas no pomar adquirido, repleto de uva tinta Castelões, existiam cerca de 200 cepas de uva branca, de uma casta que nem os jovens enólogos envolvidos no projeto conseguiam identificar. Descoberta a sua origem e nome – Jampal – André foi desaconselhado a prosseguir com a sua produção. Os motivos residiam na restante oferta, em abundância, e na fraca rentabilidade em larga escala de Jampal – motivo pelo qual estava quase extinta no país. Mas o objetivo do produtor estreante não seria o de produzir em quantidade: “Eu não quero fazer muito vinho, quero fazer bom vinho”, explicou. O resultado foi surpreendente: o seu vinho era diferente de tudo o que se havia provado até então, constituindo uma oportunidade de negócio inesperada e o mote para a produção de outras castas portuguesas tintas mais antigas, assim como para a exploração de vinhas nas regiões nobres do Alto Douroe Palmela.

Morada

Lagar Antigo – Largo da Praça Nº8 – A – 2640-160 Cheleiros, Portugal