Partilhar:

Vinho Tinto
Marqués de Murrieta
Dalmau 2017, 75cl
Rioja

79,17

 14.5%

 2021-2035

 Servir a 16º-18º

 

O Produtor, nota de prova publicada em 15 de Fevereiro de 2021

O nariz é definido por fruta preta profundamente madura com notas de especiarias pretas, balsâmicas e aromas minerais. Encorpado, taninos suculentos e um final picante sem fim. Poderoso, redondo e sólido.
"Um Dalmau com carácter forte, mais concentrado e expressivo em comparação com as seus antecessores" Maria Vargas - Directora Técnica.

Descubra todos os vinhos deste produtor

Marqués de Murrieta

Uma selecção das melhores uvas do nosso velho vinhedo de 9 hectares (22 acres) chamado parcela Canajas, localizado a 465 metros de altitude. O seu solo é essencialmente ferro-argiloso, com um solo pedregoso, o que favorece uma maturação óptima. Após o veraison, realiza-se o afinamento da cultura, seleccionando cachos com bagos pequenos a fim de limitar a produção até 1 quilograma por videira.

Vindima feita manualmente em pequenas caixas para que as uvas cheguem à adega o mais depressa possível e em perfeitas condições. O graciano foi colhido à mão a 17 de Setembro, o tempranillo a 15 de Setembro e o cabernet sauvignon a 24 de Setembro.

Uma vez recebidas na adega, as uvas são primeiro desengaçadas e cuidadosamente seleccionadas. Em seguida, cada casta fermenta separadamente durante cerca de 10 ou 15 dias em cubas de carvalho de Allier. Durante este período, são efectuados bombeamentos regulares e delestage (rack-and-return) para assegurar uma extracção perfeita dos compostos polifenólicos.
Processo de envelhecimento
23 meses em barris novos de 225 litros de carvalho francês Allier.

Prémios

98 points Proensa
96 points Tim Atkin
94 points James Suckling
93/94 points Robert Parker

Informação de alergénios

Contém sulfitos.

SKU: 105805

Marqués de Murrieta

A fundação de Marqués de Murrieta está ligada às origens dos vinhos de Rioja desde que Luciano Murrieta produziu, em 1852, o primeiro vinho de Rioja e foi também o primeiro a exportar seus vinhos. Luciano, nomeado marquês pelo rei Amadeo de Sabóia graças ao seu trabalho em Rioja, viajou para Bordeaux para aprender as técnicas de vinificação que introduziu mais tarde na Espanha. Ele estabeleceu o conceito de château no Ygay Estate, onde construiu o emblemático Castelo Ygay. Em 1983, Vicente Cebrián Sagarriga, o décimo conde de Creixell, assumiu o projeto. Modernizou a adega e, com a sua vocação empresarial, continuou o legado de Marqués de Murrieta. Após a sua morte, o seu filho mais velho, Vicente D. Cebrián-Sagarriga, actual Conde de Creixell, assumiu juntamente com a sua irmã Cristina a gestão da adega, acompanhada por uma equipa jovem e qualificada. Ao longo dos anos, a família do Conde de Creixell tornou-se a perfeita continuidade para manter o equilíbrio entre tradição e modernidade, posicionando Marqués de Murrieta no século XXI em posição privilegiada no mundo.

Morada

N-232a Km 402, 26006 Logroño, La Rioja, Espanha