Partilhar:

Vinho Branco
Albert Bichot
Chablis 1er Cru Montmains 2018, 75cl
Borgonha

53,49

 13%

 2019-2029

 Servir a 10º-12º

0 /5
0 votaram

 

James Suckling, nota de prova publicada em 11 de Julho de 1905

Tais aromas de limões imaculados, bastante semelhantes aos da essência, com uma silex de fundo. O paladar tem um toque muito elegante e suculento com toranja e bolacha de limão muito concentrado para fechar. Beba durante os próximos seis a oito anos.

Descubra todos os vinhos deste produtor

Albert Bichot

Montmains é um Premier Cru da Margem Esquerda em que a parcela específica do Long Depaquit está virada para sudeste. Um Premier Cru preferido por muitos, o seu elevado teor de giz traz uma enorme concentração, mineralidade e espinha dorsal ao vinho. A parcela é baseada no sub-plot “Les Forets” preferido, cujos elementos de argila no solo acrescentam uma riqueza adicional ao vinho. Domaine Long-Depaquit é o Domaine Chablis, propriedade da muito respeitada casa négociant de Albert Bichot. O ano de 2018 é a primeira vindima para a enóloga Cecilia Trimaille, a primeira mulher a estar à frente de um dos sítios Bichot. Ela chegou de Chateau Margaux e começou em Bichot no final de 2017. Cada um dos 2018s que provámos mostrou um nível soberbo de concentração, e a clássica tensão Chablis, compacta no início mas depois em expansão e construção no paladar. Estes são um conjunto realmente impressionante de vinhos para a primeira vindima de Cecilia no comando.

Informação de alergénios

Contém sulfitos.

SKU: 105864

Albert Bichot

Sediada em Beaune, a Albert Bichot, que já foi eleita duas vezes pela International Wine Challenge como a melhor vinícola do mundo por sua produção de vinhos tintos e brancos, possui hoje diversas áreas na Borgonha. São seis propriedades no total, a Domaine Long-Depaquit (Chablis), a Domaine du Clos-Frantin e a Château-Gris (Côte de Nuits / Nuits-Saint-Georges), a Domaine du Pavillon (Côte de Beanes / Pommard), a Domaine Adélie (Côte Chalonnaise / Mercurey) e a Domaine de Rochegrès (Moulin-à-Vent / Beaujolais). Além destas áreas, a vinícola também investiu em um projeto com terras próprias no Languedoc, no sudeste da França, mais precisamente no Vale da Gardie, onde consegue produzir as uvas Pinot Noir e Chardonnay com sutileza e elegância próximas ao que se encontra na Borgonha, sendo colhidas após um longo amadurecimento. Em cada propriedade há uma estrutura de vinificação independente e um enólogo especialista naquele terroir/climat, responsável pela produção do primeiro dia nos vinhedos até o vinho pronto. Nada de um “superenólogo” fazendo todos os vinhos iguais. Com uma adega nova desde 2014, mais ecológica, o Château Long-Depaquit, localizado no coração da vila de Chablis, em Yonne, dita uma tendência nos domínios da Albert Bichot. Possui patrimônio de 65 hectares (10 de Grands Cru) em que as vinhas são cultivadas com uma abordagem sustentável, com controle de rendimentos e vinificações não intervencionistas na busca de vinhos autênticos, minerais e elegantes. Além disso, usam o solo de maneira a manter a expressão de cada terroir. “O mais importante é observar, e não agir de maneira fanática, aprender sobre a natureza, com humildade, isso é o que meu avô me ensinou e ainda sigo”, conclui Abéric Bichot.

Morada

6 Bd Jacques Copeau 21200 Beaune – France