Partilhar:

Vinho Branco
Domínio do Açor
Bical Vinha Celta 2021, 75cl
Dão DOP

37,99

  sem stock

 14.2%

 2023-2038

 Servir a 10°-12°

0 /5
0 votaram

 

Revista de Vinhos, nota de prova publicada em 15 de Julho de 1905

Amarelo limão. A primeira expressão é amanteigada, seguem-se nuances de lima, maracujá e especiaria, tudo muito sóbrio e elegante. A matriz é fina e salgada, a untuosidade no meio palato é impoluta, o desdobramento de texturas alimenta com muita matéria um final profundo e saboroso. Um vinho notável, que
deveria guardar-se religiosamente… embora seja pecaminoso não o conhecer já.

Descubra todos os vinhos deste produtor

Domínio do Açor

O Domínio do Açor Vinha Celta Bical goza da frescura e continentalidade do Dão, mas ao mesmo tempo o seu mesoclima é mais seco e menos marginal que na Serra da Estrela. As uvas Bical (ou Borrado das Moscas) amadurecem lentamente e com imenso equilíbrio entre açúcares e ácidos, e uma carga altíssima de precursores aromáticos.

O solo é granítico. Muito bem composto entre solo e pedra, mais precisamente entre o limo ou “silt” típico dos solos graníticos, com as alteritas ou rochas degradadas pelos processos químicos e físicos do intemperismo, além do quartzo e da rocha-mãe granito. Predomina em todo o vinhedo do Domínio do Açor uma alterita de nível 5. Enologia de Luís Lopes.

Vinificação: Desengace total com esmagamento das uvas em prensa pneumática, decantação natural e estática, seguido de fermentação com leveduras indígenas em barricas, à temperatura de aproximadamente 18-22ºC. Estágio sobre as lias finas em meio redutor, sem adição de sulfitos. Maloláctica completa. Baixa adição de sulfitos antes do engarrafamento (82mg/l de dióxido de enxofre total). Decantação natural, o vinho não foi clarificado ou filtrado, e pode apresentar depósito.

Estágio: 11 meses em barricas (barricas usadas para vinificação de Chenin Blanc em Saumur, de 2014, carvalho francês).

Acompanha maravilhosamente bacalhau com natas, caril de gambas, arroz de lavagante, vieiras gratinadas, moqueca baiana.

Informação de alergénios

Contém sulfitos.

SKU: 107256

Horizonte Ilimitado - Domínio do Açor

A ideia-base da Domínio do Açor é a de elaborar grandes vinhos consoante a nova estética do vinho com elegância, frescor, digestibilidade e mineralidade do granito, valorizando a região e os seus produtores, e trabalhando em harmonia com a natureza e a comunidade local.

O Dão é considerado por muitos profissionais a região que pode entregar os vinhos brancos e tintos mais elegantes de Portugal; muitos associam inclusive o seu estilo de finesse à Borgonha.

Com o aquecimento global, as condições naturais do Dão protegem o estilo e o encepamento clássico da região, que é de altíssima qualidade, e conta com grandes castas de apreço crescente em todo o mundo, como a Touriga Nacional (originária do Dão, reconhecida como a grande casta tinta portuguesa), Alfrocheiro, Jaen (Mencia na Espanha), Encruzado (uma das melhores e mais versáteis castas brancas do país), além de castas menos conhecidas que podem originar vinhos de imensa elegância, tensão e frescura: Tinta Pinheira (Rufete), Alvarelhão, Bastardo (Trousseau no Jura), Bical, Cerceal, Uva Cão e Luzidio.

Domínio do Açor, deixa falar a voz da terra através dos seus vinhos provenientes das suas próprias vinhas, cultivadas com esmero, sabedoria e respeito pelo ambiente e terroir. Inspira confiança de qualidade, evocando a sub-região de Carregal do Sal em Terras de Senhorim, e também o efeito único que as montanhas circundantes geram no estilo dos vinhos do Dão – uma das serras que protege e influência na qualidade dos vinhos Domínio do Açor é mesmo a Serra do Açor, bem visível das vinhas e linda para visitar, com florestas, quedas d’água e uma das aldeias mais pitorescas de Portugal, Piódão.

Morada

Rua Estádio Pina Ferraz, 21
3430-350 Oliveira do Conde