Partilhar:

Vinho Rosé
Infinitude
Rosado 2021, 75cl
Lisboa

16,03

  Rosé

 12.5%

 2022-2028

 Servir a 8º-10º

0 /5
0 votaram

 

O Produtor, nota de prova publicada em 15 de Maio de 2022

Na boca apresenta-se seco, fresco, vivo, com notas cítricas (toranja)e ligeira tosta. Termina com sal e um toque especiado, ligeiramente vegetal, transmitindo-lhe longevidade em boca.

Descubra todos os vinhos deste produtor

Infinitude

Para o Infinitude Rosado 2021 fizemos uma aposta original numa casta clássica francesa, plantada em meia encosta, em solos argilo-calcários, a cerca de 5 km da Costa Atlântica e a uma média de 90 m de altitude. Uma parcela bucólica encaixada entre bosquetes de cedros e sobreiros.
Este Infinitude Rosado 2021 resulta de uma cuidada vinificação pelo processo clássico de “bica aberta”, com desengace total. O mosto resultante decantou, estaticamente, durante 18 horas e fermentou em depósitos inox com controlo de temperatura (16-18ºC), durante 14 dias. 40% do lote terminou a fermentação em barrica de carvalho francês restaurada, e aí permaneceu durante 7 meses em contacto com as borras.

Informação de alergénios

Contém sulfitos.

SKU: 106290

Infinitude

Tal como uma vida, também um vinho é o resultado visível de uma infinidade de acontecimentos. Obra viva, nunca acabada, sempre em evolução. Assim são estes vinhos nascidos na Quinta da Azenha em Colares, nas vinhas da família Osório de Vasconcelos Jardim Gonçalves. Está é um projecto familiar, fruto da vontade de dar continuidade à memória de gerações produtoras de vinho com raízes na Madeira e no Douro. E que agora se estende à região milenar de Colares, uma das mais antigas de Portugal, cuja origem remonta a 1255, quando D. Afonso III aí fez planar as primeiras videiras vindas de França. Cultivadas no recolhimento da serra de Sintra, as castas Pinot Noir e Merlot encontram aí um microclima protegido dos ventos atlânticos, com manhãs orvalhadas e Verões temperados pela neblina. Plantadas em solo de “chão rijo”, são vindimadas em separado e as uvas são cuidadosamente vinificadas pelo processo clássico de “curtimenta”. Segue –se o estágio em pequenas barricas de carvalho na mítica Adega Cooperativa de Colares. O resultado são vinhos secos e delicados, com notas salinas. Plenos de complexidade e frescura, com grande potencial de envelhecimento em garrafa. Um elegante convite a celebrar, desfrutar ou simplesmente contemplar numa infinidade de ocasiões.

Morada

Quinta da Azenha, Colares