Partilhar:

Vinho Tinto
Rui Roboredo Madeira
2014, 75cl
Beira Interior

36

 15%

 Potencial de envelhecimento

 Servir a 16º-18º

18/20  Revista de Vinhos

 

O Produtor, Nota de prova publicada em 30 de Setembro de 2016

Este é um vinho das melhores colheitas da Beira Interior, em que a altitude em anos quentes permite combinar frescura e acidez com grande concentração. Notas intensas de especiarias e alcaçuz da Tinta Roriz, em harmonia com a frescura e elegância da Touriga Nacional. Na boca sente-se grande concentração e estrutura. O longo estágio conferiu-lhe equilíbrio e elegância. Grande potencial de envelhecimento.

Descubra todos os vinhos deste produtor

Rui Roboredo Madeira

Uvas com origem nas vinhas mais antigas da Vermiosa, plantadas a uma altitude média de 750 m, das castas Tinta Roriz e Touriga Nacional. Solos de transição entre granito e xisto, com muitos filões de quartz. Vinificação: Vindima 100% manual, para pequenas caixas perfuradas. Recepção em mesa de escolha. Desengace total e esmagamento deimediato. Fermentação entre os 22º-26 ºC durante 7 dias com maceração suave. Estágio em barricas novas de carvalho francês (2/3) e americano (1/3) durante 24 meses, seguindo-se 12 meses em garrafa.

Prémios

94 Pts – Wine Enthusiast ; Os melhores do Ano – Revista de Vinhos ; Prémio “A escolha da Imprensa” – Revista de Vinhos ; Ouro – Concurso de Vinhos da Beira Interior

Informação de alergénios

Contém sulfitos

SKU: 100953

Beyra - Vinhos de Altitude

Na Vermiosa, a viticultura faz-se a mais de 700 metros acima do nível do mar. O principal benefício da viticultura em altitude deve-se ao clima mais fresco, que permite incrementar os teores de acidez, os quais são conseguidos graças às oscilações térmicas entre o dia e a noite. As noites frescas permitem que a maturação se faça mais lentamente e de forma mais uniforme, potenciando a concentração de aromas e sabores na uva. Durante o dia, a radiação é maior devido à proximidade do sol, o que ajuda a fazer melhor a fotossíntese, aumentando a coloração da uva e alcançando um grau alcoólico adequado. Com isto, conseguimos vinhos com mais cor, boa acidez, equilibrados por aromas e sabores mais potenciados.

Mas tal não se deve apenas à altitude, mas também ao tipo de solo. Nesta zona da região vinícola da Beira Interior, entre solos graníticos e xistosos da bacia hidrográfica do rio Douro, existem muitos filões de quartzo. Aqui temos um melhor arejamento do solo, menor retenção de nutrientes, baixas produções e fundamentalmente melhor insolação devido à reflexão da luz solar pelo quartzo, favorecendo as maturações. Esta é uma combinação única para o desenvolvimento das castas autóctones em vinhas velhas, já perfeitamente adaptadas aos rigores do clima e do solo, como são os casos de: Alfrocheiro, Aragonês, Jaen e Touriga Nacional para os tintos, e Fonte Cal, Rabo de Ovelha, e Síria nos brancos.

Este “terroir” dá origem a vinhos frescos, vivos e de aromas intensos, mas também mais finos e equilibrados, e no caso dos vinhos tintos apresentam taninos mais polidos. As zonas de montanha são lugares especiais, aqui o trabalho é muito duro e as pessoas que trabalham a terra não se deixam seduzir por uma vida fácil. Há uma “selecção natural” das gentes que vivem e trabalham nestas zonas.

Por tudo isto, os vinhos BEYRA são muito distintos, de grande pureza aromática e com uma personalidade vincada, mostrando muita mineralidade e acidez, o que os torna muito elegantes.

Morada

Beyra – Vinhos de Altitude, Lda.

Vermiosa – Figueira de Castello Rodrigo
6440-261 Vermiosa
Portugal