Partilhar:

Vinho Tinto
Rui Roboredo Madeira
2014, 75cl
Beira Interior

36

 15%

 Potencial de envelhecimento

 Servir a 16º-18º

18/20  Revista de Vinhos

 

O Produtor, nota de prova publicada em 30 de Setembro de 2016

Este é um vinho das melhores colheitas da Beira Interior, em que a altitude em anos quentes permite combinar frescura e acidez com grande concentração. Notas intensas de especiarias e alcaçuz da Tinta Roriz, em harmonia com a frescura e elegância da Touriga Nacional. Na boca sente-se grande concentração e estrutura. O longo estágio conferiu-lhe equilíbrio e elegância. Grande potencial de envelhecimento.

Descubra todos os vinhos deste produtor

Rui Roboredo Madeira

Limitado ao stock existente. No caso do vinho que comprou ficar sem stock, entraremos em contacto para propor um vinho diferente, ou para lhe devolver o valor pago.
As promoções nos vinhos não são acumuláveis com outros descontos ou cupões. Uvas com origem nas vinhas mais antigas da Vermiosa, plantadas a uma altitude média de 750 m, das castas Tinta Roriz e Touriga Nacional. Solos de transição entre granito e xisto, com muitos filões de quartz. Vinificação: Vindima 100% manual, para pequenas caixas perfuradas. Recepção em mesa de escolha. Desengace total e esmagamento deimediato. Fermentação entre os 22º-26 ºC durante 7 dias com maceração suave. Estágio em barricas novas de carvalho francês (2/3) e americano (1/3) durante 24 meses, seguindo-se 12 meses em garrafa.

Prémios

94 Pts – Wine Enthusiast ; Os melhores do Ano – Revista de Vinhos ; Prémio “A escolha da Imprensa” – Revista de Vinhos ; Ouro – Concurso de Vinhos da Beira Interior

Informação de alergénios

Contém sulfitos.

SKU: 100953

Beyra - Vinhos de Altitude

Na Vermiosa, a viticultura faz-se a mais de 700 metros acima do nível do mar. O principal benefício da viticultura em altitude deve-se ao clima mais fresco, que permite incrementar os teores de acidez, os quais são conseguidos graças às oscilações térmicas entre o dia e a noite. As noites frescas permitem que a maturação se faça mais lentamente e de forma mais uniforme, potenciando a concentração de aromas e sabores na uva. Durante o dia, a radiação é maior devido à proximidade do sol, o que ajuda a fazer melhor a fotossíntese, aumentando a coloração da uva e alcançando um grau alcoólico adequado. Com isto, conseguimos vinhos com mais cor, boa acidez, equilibrados por aromas e sabores mais potenciados.

Mas tal não se deve apenas à altitude, mas também ao tipo de solo. Nesta zona da região vinícola da Beira Interior, entre solos graníticos e xistosos da bacia hidrográfica do rio Douro, existem muitos filões de quartzo. Aqui temos um melhor arejamento do solo, menor retenção de nutrientes, baixas produções e fundamentalmente melhor insolação devido à reflexão da luz solar pelo quartzo, favorecendo as maturações. Esta é uma combinação única para o desenvolvimento das castas autóctones em vinhas velhas, já perfeitamente adaptadas aos rigores do clima e do solo, como são os casos de: Alfrocheiro, Aragonês, Jaen e Touriga Nacional para os tintos, e Fonte Cal, Rabo de Ovelha, e Síria nos brancos.

Este “terroir” dá origem a vinhos frescos, vivos e de aromas intensos, mas também mais finos e equilibrados, e no caso dos vinhos tintos apresentam taninos mais polidos. As zonas de montanha são lugares especiais, aqui o trabalho é muito duro e as pessoas que trabalham a terra não se deixam seduzir por uma vida fácil. Há uma “selecção natural” das gentes que vivem e trabalham nestas zonas.

Por tudo isto, os vinhos BEYRA são muito distintos, de grande pureza aromática e com uma personalidade vincada, mostrando muita mineralidade e acidez, o que os torna muito elegantes.

Morada

Beyra – Vinhos de Altitude, Lda.

Vermiosa – Figueira de Castello Rodrigo
6440-261 Vermiosa
Portugal