Partilhar:

Vinho Tinto
Château Margaux
1er Grand Cru Classé Magnun 1998, 1,5l
Margaux

1399

 12.5%

 2010-2035

 Servir a 16º-18º

91/100  Wine Spectator

 

Vinous, nota de prova publicada em 10 de Julho de 1905

O Château Margaux 1998 é uma vindima que não provei durante uma década. Agora aos 20 anos de idade manteve uma cor granada profunda com muito pouco envelhecimento na borda, de facto, um dos bancos de esquerda mais jovens de 1998 que encontrei. O nariz é deslumbrante: muito bem definido com cerejas pretas, figos frescos, toques de sous-bois e couro. Como já referi anteriormente, o que não oferece é o elemento floral que é a assinatura de muitas outras colheitas. O paladar é medianamente encorpado com tanino fino. Sente-se mais maduro no paladar do que no nariz com notas secundárias de salva, pimenta preta, notas de ironia e um toque de pimentão.

Descubra todos os vinhos deste produtor

Château Margaux

O Château Margaux deve as suas qualidades únicas ao génio do seu terroir, bem como ao trabalho apaixonado de uma sucessão de gerações. É um vinho notável que provém de uma combinação de características que só raramente são encontradas: fineza, elegância, complexidade, densidade, intensidade, comprimento e frescura. Embora a sua concentração tânica possa ser excepcional, é raro detectar adstringência.
As grandes colheitas distinguem-se pela sua formidável capacidade de nos mover. As vindimas menores dão prazer aos entusiastas sensatos. Oferecem a vantagem de evoluir muito rapidamente e, revelam, após alguns anos, em vez de poder, esta subtileza que é a prerrogativa dos grandes terroirs.
Château Margaux tem uma extraordinária capacidade de evoluir. Ao longo dos anos, desenvolveu uma delicadeza, uma complexidade aromática e uma presença notável no paladar.

Prémios

94/100 Robert Parker

Informação de alergénios

Contém sulfitos.

SKU: 105905-5

Château Margaux

Château Margaux é uma das mais famosas propriedades vinícolas de Bordéus, localizada a leste da própria Margaux, no Médoc. Juntamente com Lafite, Latour e Haut-Brion, foi classificado como um primeiro crescimento na Classificação original de 1855 de Bordéus do Médoc. Geralmente, Margaux é considerado como o mais elegante dos primeiros crescimentos, e é consistentemente um dos vinhos mais caros do mundo.

La Mothe de Margaux existiu como uma propriedade distinta no século XII, e foi criada como uma propriedade vitícola nos anos 1570, quando os agricultores de Médoc começaram a abandonar as culturas de cereais em favor da vinha. Em 1705, a London Gazette anunciou o primeiro leilão de 230 barris de “Margose”, e, em 1787, Thomas Jefferson fez a sua famosa visita a Bordéus e identificou Margaux como uma das “quatro vinhas de primeira qualidade”. Em 1800, a propriedade ocupava 265 hectares (655 acres) com um terço plantado com vinha, o que continua a ser a situação actual. O icónico castelo neopaladiano, apelidado “O Versalhes do Médoc”, foi construído no início do século XIX para igualar a reputação da vinha.

Os vinhedos de Château Margaux têm uma combinação complexa de solos que são únicos na região. Estes consistem em barro calcário sob uma camada superior de cascalho grosso e fino, que é bem adequado ao Cabernet Sauvignon, que é responsável por cerca de 75 por cento das plantações. O Merlot compõe mais 20 por cento, sendo o restante plantado à Cabernet Franc e Petit Verdot. Como é típico das propriedades de Bordeaux de topo, a vinha é densamente plantada a 10.000 videiras por hectare. Há também 12 hectares (30 acres) de Sauvignon Blanc para fazer a oferta branca de Margaux, Pavillon Blanc, que deve ser vendida como AOP de Bordeaux, e não como Margaux. Os vinhos tintos são fermentados numa mistura de cubas tradicionais de madeira e aço inoxidável; o grande vinho vê envelhecer entre 18 e 26 meses em barris novos de carvalho.

Morada

Margaux 33460, Bordeaux
França
+33 (0)5 5788 8383
+33 (0)5 5788 3132